O livro das casas

Moderna | 2015

Comecei a fazer o “O livro das casas” lá por 2010, fiz os textos em 2014 e as imagens finais entre abril e junho de 2015. Neste trabalho, textos e desenhos foram criados para dialogar uns com os outros no sentido do diálogo mesmo: diante da fala do texto, o desenho responde e dá sua opinião, ou seja, vem com uma imagem que poderia perfeitamente ser outra. Assim, textos e imagens mostram o que poderia ser “a casa da pulga”, “a casa do sonho”, “a casa do tempo”, “a casa do esqueleto”, “a casa do bicho”, “a casa do ser humano”, “a casa do desenho”, “a casa da bagunça” e  assim por diante. Foi divertido fazer esse livro. A imagem da capa, que está também dentro do livro com pequeníssimas mudanças decorrentes da aplicação do título. Eis o texto correspondente: “Quando alguém não toma banho/É melhor ficar de olho/Pois talvez sua cabeça/ Seja casa de piolho.”