Biografia de Ricardo Azevedo

Foto Ricardo Azevedo

Ricardo Azevedo, escritor e ilustrador paulista nascido em 1949, é autor de muitos livros para crianças e jovens, entre eles Um homem no sótão (Ática), A casa do meu avô (Ática), Aula de carnaval e outros poemas (Ática), Trezentos parafusos a menos (Moderna), Livro dos pontos de vista (Ática), Armazém do Folclore (Ática), Histórias de bobos, bocós, burraldos e paspalhões (Ática), O livro das palavras (Editora do Brasil), O sábio ao contrário (Editora do Brasil), Contos de enganar a morte (Ática), Chega de saudade (Moderna), Contos de espanto e alumbramento (Scipione), O livro de papel (Editora do Brasil), Ninguém sabe o que é um poema (Ática), Feito bala perdida e outros poemas (Ática), O leão da noite estrelada (Saraiva), Contos e lendas de um vale encantado (Ática), Fazedor de tatuagem (Moderna), O chute que a bola levou (Moderna) e O motoqueiro que virou bicho (Moderna).

Ganhou quatro vezes o prêmio Jabuti com os livros Alguma coisa (FTD), Maria Gomes (Scipione), Dezenove poemas desengonçados (Ática) e A outra enciclopédia canina (Companhia das Letrinhas), o APCA e outros.

Tem livros publicados na Alemanha, Portugal, México, França e Holanda e textos em coletâneas publicados na Costa Rica e no Kuwait.

Bacharel em Comunicação Visual pela Faculdade de Artes Plásticas da Fundação Armando Álvares Penteado e doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor da tese Abençoado e danado do samba – O discurso da pessoa, das hierarquias, do contexto, da religiosidade, do senso comum, da oralidade e da folia (Edusp, no prelo). Pesquisador na área de cultura popular. Professor convidado em cursos de especialização em Arte-Educação e Literatura. Tem dado palestras e escrito artigos, publicados em livros e revistas, abordando problemas do uso da literatura de ficção na escola.

Entrevista com um cachorro

Cachorro: Ricardo, você tem medo de cachorro?

Ricardo: Só de cachorro bravo. Você é bravo?

Cachorro: Sinto vontade de morder gente que eu não conheço. Quem eu não conheço, para mim, é sempre um inimigo. E você? Gosta de morder?

Ricardo: Só quando alguém me trata mal ou diante de uma coisa muito injusta. Aí eu fico bravo.

Cachorro: Se você encontra uma comida gostosa mas está sem fome, costuma esconder a comida num buraco para comer depois?

Ricardo: Prefiro guardar na geladeira ou então no armário da cozinha.

Cachorro (pondo a pata na cabeça): Não faça isso! Desse jeito, qualquer um pode passar e roubar sua comida! Mudando de assunto. Afinal, você faz ou não faz xixi?

Ricardo: Claro que faço!

Cachorro: Onde?

Ricardo: No banheiro.

Cachorro (espantado): Mas então você não deixa marcas? Como as pessoas vão saber que você passou por tal ou tal lugar?

Ricardo: Escrevo um pequeno texto ou então faço um desenho.

(extraída do livro Leitura, escrita e reflexão, de Márcia Leite e Cristina Bassi- FTD,1999)